Origem dos vegans

Vegans ou veganos é o modo como são denominados os adeptos do Veganismo, uma filosofia de vida que defende os direitos dos animais e combatem a exploração e/ou abuso dos mesmos.
Longe de ser uma filosofia totalmente teórica, o Veganismo é colocado em prática pelos seus defensores. Os veganos se abstêm de alimentos de origem animal como carnes, peixes e ovos; não consomem alimentos produzidos por animais, como leite, gelatina (origem animal) e mel; não usam vestimentas feitas de peles, couro, lã, seda, camurça, ou outros materiais de origem animal, como pérolas, plumas, penas, ossos e marfim; não fazem uso medicamentos, cosméticos, produtos de limpeza e higiene pessoal testados em animais; não tomam vacina e soros; condenam o entretenimento com o uso de animais.
O Veganismo surgiu na Inglaterra em 1944 numa reunião organizada por Donald Watson e seis ex-membros da “Sociedade Vegetariana”. Após a reunião, resolveram criar a “Sociedade Vegana”. O termo vegan deriva da palavra “vegetarian”. Ainda no século XX, o veganismo conquistou adeptos no mundo todo.

Leia mais

Origem da colomba pascal

Colomba Pascal Trufada, by: Chef Moisés Costa

Você sabia que a Colomba Pascal simboliza a paz para os italianos? O reino de Lombardia, que ficava ao norte da Itália, estava em guerra com o vilarejo de Pavia. Um padeiro paviano, resolveu fazer um pão doce com forma de pomba, com uma massa com muita manteiga e ovos, mais macia que o panetone, recheada com cascas de laranja cristalizadas, com cobertura de glacê, amêndoas ou ainda chocolate aromatizado, apresentando decorações requintadas. O rei da Lombardia recebeu o presente, degustou e adorou. Resolveu, então, não invadir mais o vilarejo. Hoje, a Colomba Pascal é preparada principalmente na Páscoa, ou seja, tornou-se um símbolo também do Cristianismo.
Quer conhecer esta deliciosa receita? Clique aqui!

 Visite o site “O gastrônomo” e confira os eventos: “festival de pizzas”, “massas”, “risotos”, “oriental” e “mexicano”.
“O gastrônomo” também oferece cursos de “pizzas”, “massas” e “risotos”. Além disso, “O gastrônomo” personalité; com o petit comité, que consiste em eventos para pequenos grupos, como “almoços” e “jantares” sociais ou de negócios, confira tudo isso com o Chef Moisés Costa.  Apoio: foodbrasil.net

Origem da semolina

Grande parte das civilizações milenares baseou a sua alimentação nos cereais, sendo o principal deles o trigo.
Da moagem do trigo é possível obter a farinha de trigo, que é rica em proteína e é base da preparação de pães, sejam eles fermentados ou não. A partir da farinha de trigo, é extraída a farinha integral (com alto teor de fibras devido à moagem de grãos inteiros do trigo); a farinha branca (a mais utilizada pelos consumidores comuns, devido a sua isenção de impurezas e aspecto bem branco e de grãos bem fininhos, embora possuidora de poucos nutrientes, perdidos durante o refinamento); e a sêmola e semolina (resultantes da moagem dos grãos limpos e desgerminados do trigo, sendo que a sêmola possui uma granulometria mais grossa [grão volumoso] em relação à semolina).

Leia mais

História da esfiha

Conhecida como um prato típico árabe, a esfiha foi desenvolvida na Síria e difundida pelo Líbano; depois, para outros países de língua árabe e também no Ocidente. Sua massa tradicional é a mesma que a do pão, contudo, em decorrência da difusão do prato, a massa passou a ser preparada com outros ingredientes específicos de outras regiões. Em relação ao seu formato, a esfiha pode ser aberta ou fechada. O recheio pode ser de carne bovina, carne de carneiro, queijo, coalhada ou verduras temperadas. Depois de recheada, é assada ao forno.
A esfiha chegou ao Brasil com os imigrantes árabes (sírio-libaneses) entre os séculos XIX e XX.
Conheça uma deliciosa receita de esfiha do Chef Moisés Costa. Clique aqui!

 Visite o site “O gastrônomo” e confira os eventos: “festival de pizzas”, “massas”, “risotos”, “oriental” e “mexicano”.
“O gastrônomo” também oferece cursos de “pizzas”, “massas” e “risotos”. Além disso, “O gastrônomo” personalité; com o petit comité, que consiste em eventos para pequenos grupos, como “almoços” e “jantares” sociais ou de negócios, confira tudo isso com o Chef Moisés Costa.  Apoio: foodbrasil.net

Origem do calzone

Você sabia que o calzone também é conhecido como pizza fechada? Isto se deu ao fato de que o calzone é feito da mesma massa que a pizza, no entanto, é recheado com queijo, molho de tomate, verdura, legumes e carnes, fechado ao meio, com aspecto de meia-lua, selado com gema de ovos, e assado.
Muitos chegam a confundir o calzone com a fogazza, devido ao seu formato também de meia-lua, contudo, seus ingredientes de preparação são distintos.
O calzone é originário da região italiana da Apúlia, na zona do Salento. Veja uma saborosa receita de calzone feito pelo Chef Moisés Costa, clique aqui!

 Visite o site “O gastrônomo” e confira os eventos: “festival de pizzas”, “massas”, “risotos”, “oriental” e “mexicano”.
“O gastrônomo” também oferece cursos de “pizzas”, “massas” e “risotos”. Além disso, “O gastrônomo” personalité; com o petit comité, que consiste em eventos para pequenos grupos, como “almoços” e “jantares” sociais ou de negócios, confira tudo isso com o Chef Moisés Costa.  Apoio: foodbrasil.net

História da massa folhada

A massa folhada tem sua provável origem no Egito Antigo, já que sua formulação não contém fermento. É muito leve, feita em camadas graças à adição de gorduras, como a manteiga ou gordura vegetal. Para se obter o efeito de camadas, a massa é esticada, acrescentando-se a gordura e dobrada várias vezes, Pode-ser usada em preparações doces e salgadas.
Foi difundida na Europa no século XVII pelo francês Claude Gellée, quando trabalhava em Roma como cozinheiro.
Veja uma saborosa receita de massa folhada!

 Visite o site “O gastrônomo” e confira os eventos: “festival de pizzas”, “massas”, “risotos”, “oriental” e “mexicano”.
“O gastrônomo” também oferece cursos de “pizzas”, “massas” e “risotos”. Além disso, “O gastrônomo” personalité; com o petit comité, que consiste em eventos para pequenos grupos, como “almoços” e “jantares” sociais ou de negócios, confira tudo isso com o Chef Moisés Costa.  Apoio: foodbrasil.net

Origem do zabaione

É considerada uma das receitas italianas mais tradicionais, dos tempos em que a Península Itálica era dividida em vários reinos, ou seja, há mais de 200 anos antes da unificação do país (1870).
De textura bem leve, o zabaione é uma deliciosa sobremesa feita de gemas, açúcar e vinho Marsala, Madeira ou Porto.
O doce fez muito sucesso na França quando os cozinheiros da comitiva real que acompanhou Catarina de Médicis o prepararam. Como Catarina de Médicis casou-se com Henrique de Orléans e passou a viver na França, os franceses passaram a saborear muitas outras especialidades italianas.
Está com vontade de saborear um doce da realeza italiana? Clique aqui!

 Visite o site “O gastrônomo” e confira os eventos: “festival de pizzas”, “massas”, “risotos”, “oriental” e “mexicano”.
“O gastrônomo” também oferece cursos de “pizzas”, “massas” e “risotos”. Além disso, “O gastrônomo” personalité; com o petit comité, que consiste em eventos para pequenos grupos, como “almoços” e “jantares” sociais ou de negócios, confira tudo isso com o Chef Moisés Costa.  Apoio: foodbrasil.net

História do pau-a-pique

by: alunos do 7º ano Amarelo

O doce pau-a-pique, que é feito à base de fubá, teve inspiração em uma técnica construtiva antiga de mesmo nome, que consiste no entrelaçamento de madeiras verticais fixadas no solo, com vigas horizontais, geralmente de bambu amarradas entre si porcipós, dando origem a um grande painel perfurado que, após ter os vãos preenchidos com barro, transformava-se em parede. Podia receber acabamento alisado ou não, permanecendo rústica, ou ainda receber pintura de caiação.
Os alunos do 7º ano Amarelo elaboraram este delicioso prato que foi apreciado por todos, acompanhado de um gostoso café! Para conhecer a origem do café, clique aqui!

 Visite o site “O gastrônomo” e confira os eventos: “festival de pizzas”, “massas”, “risotos”, “oriental” e “mexicano”.
“O gastrônomo” também oferece cursos de “pizzas”, “massas” e “risotos”. Além disso, “O gastrônomo” personalité; com o petit comité, que consiste em eventos para pequenos grupos, como “almoços” e “jantares” sociais ou de negócios, confira tudo isso com o Chef Moisés Costa.  Apoio: foodbrasil.net

Origem do inhoque

Você sabia que o inhoque já foi considerado um prato ligado à população mais pobre da Itália?
As cozinheiras italianas mais pobres elaboravam este prato em decorrência da sua simplicidade e pelo baixo custo, já que a base da receita era de batata, ovos e farinha de trigo, e com o tradicional molho de tomate. Com o passar do tempo, a receita foi se sofisticando, elevando o inhoque à alta categoria gastronômica, com o acréscimo de variados molhos vermelhos e brancos.
Através da Imigração Italiana (XIX), o inhoque chegou ao Brasil, onde foi adaptado aos ingredientes nacionais, tanto que hoje, não somente a batata é utilizada como base do prato, mas também outros tubérculos, como a abóbora, inhame, mandioca e a mandioquinha. Graças à criatividade dos profissionais da gastronomia nacional, o inhoque pode ser acompanhado por molhos diversos e até mesmo sendo recheado, a exemplo do “Nhoque recheado ao molho Rossini” preparado  pelo Chef Moisés Costa. Para se deliciar com a receita,  clique aqui!

 Visite o site “O gastrônomo” e confira os eventos: “festival de pizzas”, “massas”, “risotos”, “oriental” e “mexicano”.
“O gastrônomo” também oferece cursos de “pizzas”, “massas” e “risotos”. Além disso, “O gastrônomo” personalité; com o petit comité, que consiste em eventos para pequenos grupos, como “almoços” e “jantares” sociais ou de negócios, confira tudo isso com o Chef Moisés Costa.  Apoio: foodbrasil.net

História da massa puba

Você sabia que a massa puba é uma herança do período colonial do Brasil? Os índios tupinambás, que viviam no litoral do Brasil, consumiam a mandioca, um tubérculo de fácil plantio. Após a descoberta do Brasil pelos portugueses, e a efetiva colonização do novo território, os colonos passaram a produzir, consumir e até mesmo exportar a farinha de mandioca, sendo considerada por muitos, naquele período, superior à farinha de trigo.
Hoje, a massa puba é considerada uma receita típica do norte e nordeste do Brasil. Para se obter a puba, é necessário deixar a mandioca de molho em um recipiente com água durante uma semana. Depois, rala-se esta massa para a posterior preparação de bolos e biscoitos. Para ver uma deliciosa receita de massa puba desenvolvida pelo Chef Moisés Costa, clique aqui!
[polldaddy poll=4378493]

 Visite o site “O gastrônomo” e confira os eventos: “festival de pizzas”, “massas”, “risotos”, “oriental” e “mexicano”.
“O gastrônomo” também oferece cursos de “pizzas”, “massas” e “risotos”. Além disso, “O gastrônomo” personalité; com o petit comité, que consiste em eventos para pequenos grupos, como “almoços” e “jantares” sociais ou de negócios, confira tudo isso com o Chef Moisés Costa.  Apoio: foodbrasil.net